quarta-feira, 29 de setembro de 2010

The Girl with the dragon tatoo

    Traduzido no Brasil como "Os homens que não amavam as mulheres", a Trilogia Millenium do escritor sueco Stieg Larsson , virou filme e é a melhor coisa que eu li ultimamante. Sim , há um ano venho lendo Romances policiais e suspenses como Paul Auster, Michael Chabon e agora Stieg Larsson.
    Bom, tudo é bom nessa trilogia: a narrativa te pega pelo pescoço, Larsson é um escritor objetivo como o bom jornalista que era. Muitos dos seus fãs não deixam de fazer relação entre sua vida pessoal e o principal personagem masculino: "Super Blomkvist", nosso jornalista investigativo engajado em denunciar escândalos de corrupção na Suécia. Tarefa que norteou a vida de Larsson, defensor dos Direitos Humanos que denunciou organizações neofacistas e racistas em seu país. Já Blomkvist será  o defensor das mulheres que sofrem nas mãos dos "que não gostam delas", no caso: estupradores de família (marido, pai, irmãos...), traficantes de escravas,cafetões e pedófilos abomináveis.
   Mas, a principal personagem feminina, é minha anti-heroína favorita: LISBETH SALANDER. A personagem literária mais apaixonante dos últimos tempos. Todas tentativas de definí-la são um quebra-cabeça que prende o leitor para descobrir cada passo que essa hacker punk fará.
A MENINA QUE BRINCAVA COM FOGO
      Ou  a menina com uma lata de gasolina e um fósforo. Sim, Lisbeth é explosiva! Agindo na clandestinidade, lutando por sua dignidade, provocando a sociedade com sua aparência e atitudes hostis para com os hipócritas e moralistas de plantão. Ela é tudo que não se espera de uma mulher, e é a mais fêmea de todas ao proteger a sua bela alma recortada de muitos segredos do passado.
     Ela e Blomkvist trabalham juntos na caça de um serial killer, um empresário corrupto, uma rede de prostituição, políticos, juristas, advogados , assistentes socias, militares, etc. Lutam contra a hipocrisia da sociedade. Larsson situa seu romance num cenário político e econômico contemporâneo e qualquer semelhança com a realidade é mera Literatura....
A PRINCESA NO CASTELO DE AR
   Romance policial com todos os ingredientes, romance político, sociologia pura e antropologia necessária para humanizar nossos corações. No contraponto dos "homens que não amam as mulheres", aparecem personagens livres e independentes que querem antes de tudo libertar os outros. O sexo nos é mostrado como uma opção de beleza e vida, que deve ser feito com vontade e liberdade, ao contrário de toda e qualquer submissão, humilhação e castração.
   Stieg Larsson era o homem que amava as mulheres. e Lisbeth, uma mulher apaixonante! A garota com a tatuagem de dragão.
                                                                 

sábado, 25 de setembro de 2010

A Ditadura "invisível"!

29ª Bienal de São Paulo. Artistas não selecionados expondo fora dos pavilhões.
Um artista CENSURADO dentro dos pavilhões: GIL VICENTE. Um desenhista bárbaro, criador da série "Inimigos", teve que esconder algumas das suas criações, por motivos "eleitorais". Veja você mesmo e tire suas conclusões...Só não esqueça que vivemos num país " democrático" e a Arte...bem,
está aberta a discussão sobre o que é ou como dever ser a "Arte"!
Ana dos Santos






O homem com as armas é o auto-retrato do artista Gil Vicente e os "Inimigos": FHC, Bush...etc.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

JORNADAS CULTURAIS UFRGS

  
                                                                                                                









                               Melancias
                               brotam no jardim
                               Poesias
                               florescem em mim
                               Tempestade de idéias
                               semeam sementes
                               Suave
                               aroma
                               jasmim

                              Ana dos Santos

                                                                                                             







(Poesia na Universidade)