sábado, 4 de dezembro de 2010

Para quem perdeu o sarau, mas não o tesão...


Vamos ficar, ali
nas terminações nervosas
só gozando
cada choque de prazer
Vamos nos banhar, ali
nos líquidos quentes
fundindo
carne com carne
sentindo os gostos das frutas
uva, banana, maçã...
Vamos nos perder, ali
no doce deleite
de leite
de inauguração
É ali, onde se fizeram
todas as concepções,
gestações e nascimnetos
Da certeza do tempo
eu posso te dizer:
TODO MUNDO NASCEU DE UMA TREPADA!

Anita Morango

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Perfomance Erótica Rock'n roll

      
Olá pessoas,
quero convidá-las para participar da perfomance dia 28 de novembro, domingo, às 19h
na sede dos Águias: r.Dr. Valle 38, esquina  Cristóvão Colombo. Free!
Abraço poético,
Anita Morango

sábado, 13 de novembro de 2010

AFRICANIDADES



MUSEU AFRO BRASIL - SÃO PAULO

   "...Pan-América de Áfricas utópicas do mundo do samba, mais possível novo quilombo de Zumbi...". Os versos de Caetano Veloso anunciam que na cidade de São Paulo vamos encontrar uma das maiores comunidades negras do Brasil. Cidade cheia de paradoxos e desigualdades, é lá que se localiza um arquivo cultural de grande importância para nós, brasileiros: o Museu Afro Brasil. Localizado dentro do belíssimo Parque Ibirapuera, o Museu acolhe nos seus três pisos, a história dos africanos que construíram o Brasil.
   O Museu tem duas mostras de acervo e uma temporária. Na ocasião da minha visita, a mostra temporária homenageava o país Benin. Fotos, esculturas, pinturas e instalações de artistas contemporâneos estavam lado a lado com roupas típicas, imagens religiosas que aqui receberam outros nomes e formas, mas que se assemelham na essência que é a representação das divindades e os sentimentos humanos, e das divindades com a Natureza.
   As religiões Afro-Brasileiras são o ponto forte do Museu. É possível sentir a energia da fé que ajudou a manter a cultura viva da África e que se misturou com a religião católica e espírita formando assim no Brasil as religiões Afro-Brasileiras."...as religiões afro-brasileiras recebem nomes diferentes dependendo do lugar e do modelo de seus ritos. No Nordeste há o tambor-de-mina maranhense, o xangô pernambucano e o candomblé baiano. No Rio de Janeiro e São Paulo prevalecem a umbanda e o candomblé e no Sul, o batuque gaúcho.
   A visitação está dividida em Núcleos, que podem ser percorridas à escolha do visitante. No Núcleo "O Sagrado e o Profano" encontramos belíssimas esculturas do Brasil colônia. O Barroco traz imagens de Cristo e de santos católicos que são homenageados nas festas típicas junto com santos populares do Brasil: Padre Cícero, Bom Jesus da Lapa, Aparecida da Norte. Os santos negros também estão presentes: Santa Ifigênia, São Benedito, Nossa Senhora do Rosário.
   No Núcleo histórico nos deparamos com a memória dos negros que ajudam a contar sua trajetória cheia de lutas e superações: Zumbi dos Palmares, Henrique Dias, Luís Gama e José do Patrocínio. Como a luta continua, muitos nomes de artistas se destacam até hoje: Grande Otelo, Machado de Assis, Ruth de souza ( que dá nome ao teatro dentro do Museu) e Carolina Maria de Jesus ( que dá nome à biblioteca).
   O Museu tem um grande acervo de artes plásticas, desde Aleijadinho até Heitor dos Prazeres. Mas o que mais me emocionou foi uma reprodução de um navio negreiro. Nesta sala disposta de maneira a nos sentirmos na "grande viagem" , somos lembrados dos horrores da escravidão e das relações desumanas que os escravos tinham com os exploradores da terra. O sangue derramado nese solo brasileiro, é o sangue da resistência. Ao contrário da "árvore do esquecimento" que os negros eram obrigados a circundar para deixar para trás suas origens ( na maioria das vezes, nobres) o Museu Afro Brasil contém a memória do Brasil, que é negro, índio, branco. O povo brasileiro pode se encontrar aqui.
Ana dos Santos
(imagens do marco inicial do Museu do Percurso do Negro em Porto Alegre)                                                         

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

BOEMIA

BOEMIA


   Algumas pessoas apreciam mais a noite que o dia. Eu sou uma delas. Sou atraída misteriosamente pelo azul escuro do céu, principalmente se ele estiver bordado de estrelas. Ou se houver lua, aquele satélite luminoso que atrai todos nós, os seres noturnos, os boêmios.
   Mas pode estar nublado ou chovendo, os bares da cidade vão sempre abrigar a boemia. Sozinhos ou acompanhados, vamos encontrar os boêmios, com um cigarro na mão e na outra, um copo. Copos cheios de bebida, que vão se esvaziando à medida que a conversa cresce ou a solidão diminui.
   O que se busca na noite nem sempre é companhia, embora essa seja uma busca eterna em nossas vidas. Às vezes o boêmio quer ficar sozinho com seus pensamentos que bóiam dentro dos copos. Às vezes foi a falta de uma companhia que nos levou para o bar, a famosa “dor de cotovelo”. Mas quase sempre, outro boêmio sentará em nossa mesa, e a noite poderá se estender de bar em bar, até o amanhecer.
   Essa é uma das prerrogativas do boêmio: não ter horário. Para chegar ou para sair da noite. Por isso, somos tantas vezes confundidos com “vagabundos”. Olhando o dicionário, o que encontro de sinônimos para “boêmio”: vadio, que vive em noitadas, que leva vida desregrada e de prazeres (oba!), natural da Boêmia, cigano. Cigano? Gostei!
   É, sim, às vezes eu sou cigana. Vagando, (e não vagabundeando) de bar em bar. Pelas encruzilhadas da vida, me deparo com as celebrações religiosas de cultura afro-brasileira.O famoso “povo da rua”, saudado nas esquinas, com cachaças, cigarros e tudo que possa agradar os “exus” e as “pombas-gira”. Para quem desconhece o assunto, eles são seres que gostam de festa, farra e às vezes uma confusão. Por isso mesmo, há de se pedir licença pro “povo”, e proteção. Porque se tem uma coisa que o boêmio não quer pra sua vida é confusão!
   E sempre tem aquele boêmio que exagera na dose, que fica chato, falando bobagens, filosofando “em alemão”, e acaba por chorar no teu ombro. Eu prefiro aqueles que ficam alegres! Que acham a que a vida é bela e que o amor é lindo! E dizem que te adoram e que tu és o melhor amigo. Então vamos dançar! Por que é à noite que o povo dança!
   “A tarde cai, a noite vem atropelando, todos chatos desanimados...”. Não importa o ritmo musical, todas festas são à noite, e o povo quer dançar. Quer celebrar, quer desopilar, soltar todos os demônios! E fazer a “dança do acasalamento!” Porque essa é a origem da dança: atrair para o acasalamento! E todos e todas vão prontos para o ritual: corpos perfumados, vestimentas atraentes, sorrisos em profusão. “De noite todos gatos são pardos”, mas não passam despercebidos. Todos têm seus “quinze minutos de fama”. Todos são belos, alegres, bem-resolvidos. A noite tem esse poder de transformar as pessoas, na maioria das vezes tira as máscaras sociais. Às vezes, tira a roupa, porque de noite, sempre é melhor...
    “Eu faço samba e amor até mais tarde, e tenho muito sono de manhã.” Chico Buarque que o diga, boêmio de carteirinha. Assim, como os gatos, o boêmio descansa de dia e passeia de noite. Corujas, morcegos, vaga-lumes, muitos animais têm hábitos noturnos. Certas flores só exalam perfume à noite.  Nós, humanos, não poderíamos ser diferentes. E toda essa conversa sobre boemia está me deixando com vontade de ir pra noite: “Boemia, aqui me tens de regresso e suplicante lhe peço, a minha nova inscrição.”
Anita Morango
(vídeos-portraits de Robert Wilson)

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

FEIRA DO LIVRO DA ANA !

Olá leitores, vamos ajudar uma escritora iniciante e divulgar Poesia mundo afora!
É só comprar um dos livros abaixo:

Brazil by Night
Livro de fotos e textos sobre a noite brasileira.
À venda pelo site http://www.livrariacultura.com.br/
















Antologia Prosa e Verso Águia 2009
À venda na Sede: SEDE PORTO ALEGRE – RUA DR. VALLE, 38
Fone (51) 3225-0107 – Bairro Floresta – CEP 90560010 – Expediente à tarde














LIVRO DA TRIBO - à venda nas Livrarias Saraiva e Cervo e no site: http://www.livrodatribo.com.br/ e aproveite no site a promoção do papel de parede poético:

MEU PRIMEIRO LIVRO DE POESIAS - FLOR (  selecionado no concurso Ministério da Poesia)

À venda no site: http://www.worldartfriends.com/, clique em Waf Store e Search: Flor - Ana dos Santos

terça-feira, 12 de outubro de 2010

LIVRO DA TRIBO

                                                                                  
Olá pessoas!
Conhecem o Livro da Tribo? Uma agenda cheia de poesia, crítica,humor e belas imagens!
Pois em 2011 estarei colaborando com um texto nesse poético projeto gráfico, eu e outros escritores/poetas do Brasil! A agenda já está à venda nas Livrarias Saraiva e Cervo, em Porto Alegre.
E a melhor parte: acessando o site http://www.livrodatribo.com.br/tribo.php?cnt-id=214 você
baixa um pacote de demonstração e o aplicativo do "papel de parede poético", uma ferramenta que instalará no seu desktop mensagens ilustradas que podem ser trocadas aleatoriamente, uma inspiração diária! A instalação é fácil, tem um passo a passo bem acessível!
E, compre o Livro da Tribo 2011! É um presente e tanto!
                                                
(índios da tribo kaigang cantando no centro de Porto Alegre - foto de Fabrício Leal)


segunda-feira, 4 de outubro de 2010

POESIA


Na noite gris
Velas bruxuleantes nas mesas
Resplandecendo sua tez morena
Fagueira
Bonacheirona
De olhos amendoados
Boca de lábios carnudos
Mulher faceira, de voz dengosa
Desfila versos nas ruas da cidade
Enternece corações vazios
Apascenta corpos vagos
Eternamente será a última flor do Lácio

Roberto Jung (editor do grupo A.G.U.I.A. do qual faço parte )
                                                                             

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

The Girl with the dragon tatoo

    Traduzido no Brasil como "Os homens que não amavam as mulheres", a Trilogia Millenium do escritor sueco Stieg Larsson , virou filme e é a melhor coisa que eu li ultimamante. Sim , há um ano venho lendo Romances policiais e suspenses como Paul Auster, Michael Chabon e agora Stieg Larsson.
    Bom, tudo é bom nessa trilogia: a narrativa te pega pelo pescoço, Larsson é um escritor objetivo como o bom jornalista que era. Muitos dos seus fãs não deixam de fazer relação entre sua vida pessoal e o principal personagem masculino: "Super Blomkvist", nosso jornalista investigativo engajado em denunciar escândalos de corrupção na Suécia. Tarefa que norteou a vida de Larsson, defensor dos Direitos Humanos que denunciou organizações neofacistas e racistas em seu país. Já Blomkvist será  o defensor das mulheres que sofrem nas mãos dos "que não gostam delas", no caso: estupradores de família (marido, pai, irmãos...), traficantes de escravas,cafetões e pedófilos abomináveis.
   Mas, a principal personagem feminina, é minha anti-heroína favorita: LISBETH SALANDER. A personagem literária mais apaixonante dos últimos tempos. Todas tentativas de definí-la são um quebra-cabeça que prende o leitor para descobrir cada passo que essa hacker punk fará.
A MENINA QUE BRINCAVA COM FOGO
      Ou  a menina com uma lata de gasolina e um fósforo. Sim, Lisbeth é explosiva! Agindo na clandestinidade, lutando por sua dignidade, provocando a sociedade com sua aparência e atitudes hostis para com os hipócritas e moralistas de plantão. Ela é tudo que não se espera de uma mulher, e é a mais fêmea de todas ao proteger a sua bela alma recortada de muitos segredos do passado.
     Ela e Blomkvist trabalham juntos na caça de um serial killer, um empresário corrupto, uma rede de prostituição, políticos, juristas, advogados , assistentes socias, militares, etc. Lutam contra a hipocrisia da sociedade. Larsson situa seu romance num cenário político e econômico contemporâneo e qualquer semelhança com a realidade é mera Literatura....
A PRINCESA NO CASTELO DE AR
   Romance policial com todos os ingredientes, romance político, sociologia pura e antropologia necessária para humanizar nossos corações. No contraponto dos "homens que não amam as mulheres", aparecem personagens livres e independentes que querem antes de tudo libertar os outros. O sexo nos é mostrado como uma opção de beleza e vida, que deve ser feito com vontade e liberdade, ao contrário de toda e qualquer submissão, humilhação e castração.
   Stieg Larsson era o homem que amava as mulheres. e Lisbeth, uma mulher apaixonante! A garota com a tatuagem de dragão.
                                                                 

sábado, 25 de setembro de 2010

A Ditadura "invisível"!

29ª Bienal de São Paulo. Artistas não selecionados expondo fora dos pavilhões.
Um artista CENSURADO dentro dos pavilhões: GIL VICENTE. Um desenhista bárbaro, criador da série "Inimigos", teve que esconder algumas das suas criações, por motivos "eleitorais". Veja você mesmo e tire suas conclusões...Só não esqueça que vivemos num país " democrático" e a Arte...bem,
está aberta a discussão sobre o que é ou como dever ser a "Arte"!
Ana dos Santos






O homem com as armas é o auto-retrato do artista Gil Vicente e os "Inimigos": FHC, Bush...etc.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

JORNADAS CULTURAIS UFRGS

  
                                                                                                                









                               Melancias
                               brotam no jardim
                               Poesias
                               florescem em mim
                               Tempestade de idéias
                               semeam sementes
                               Suave
                               aroma
                               jasmim

                              Ana dos Santos

                                                                                                             







(Poesia na Universidade)

terça-feira, 31 de agosto de 2010

LIVRO DE PAREDE


                                     

Os girassóis
e os guarda-sóis
me dizem que a vida é bela
e eu devo sorrir!
Eu quero a estrela
que é feita de diamante
Brilhante
ou solitário
eu quero é brilhar!

Ana dos Santos

(intervenção urbana da série "...porque as paredes têm ouvidos...")                                            

Perfomance Erótica Rock'n roll




JARDIM SECRETO

No meu jardim secreto há muita sujeira
Há líquido seminal que escorreu do pau
Há sangue de menstruação do meu coração
Gnomos velhos e aposentados e irados
Bruxinhas disfarçadas de fadinhas
Erva sagrada e erva daninha
Látex perfumado de camisinha
Observações sempre livres
De quem não sabe dizer não
De quem só ouve o coração
E gosta de um bom dramalhão
Lama, vômito, merda e nasceu uma flor!

Anita Morango

A.G.U.I.A. Prosa e Verso Antologia 2009





Meus olhos são pequenos

mas se abrem

para beber o sol

colher sorrisos                                                                     

e comer você.

Chove no verão

e eu choro

na frente do ventilador

para o sol brilhar de novo

e enxugar você.

As pessoas estão se tornando

concreto e alumínio.

Eu me lembro do tempo

em que eu era uma flor!



Ana dos Santos




                                                         

Brazil by Night

                                                                                       
RIO GRANDE DO SUL: Onde o calor é humano!

   No extremo sul de um país tropical faz frio. Ali, nesse paradoxo, encontramos o calor humano do gaúcho, um povo brasileiro que atravessa frias madrugadas, às vezes gélidas, com o branco da neve
a enfeitar a escuridão da noite. Nessas travessias noturnas, como companheiros, temos o calor do fogo,
o amargo do chimarrão e o vermelho do vinho.
   O gaúcho tem o privilégio de apreciar, em suas paisagens, os verdes sem fim das planícies do pampa
e a palheta de cores do pôr do sol sobre as águas do Rio Guaíba, que circunda Porto Alegre. É à beira
deste rio que muitos casais esperam o entardecer, para namorar, tomar chimarrão e esperar as estrelas
que trazem a noite.
   Enquanto o sol se põe, visualizamos um espectro de luzes, que alteram nossas emoções. A noite traz,
além de melancolia, o desejo de diversão, distração e prazer. No porto que carrega "alegria" em seu nome, o que não faltam são opções para a tradicional boemia. A Cidade Baixa é um desses lugares. O
bairro conserva o charme dos anos 30, e, em suas ruazinhas arborizadas, passeamos sob a luz dos holofotes, que iluminam antigos casarões. Nesse espaço democrático, intelectuais, artistas e poetas compõem o cenário ideal para dançar e se apaixonar, sob a luz da lua cheia!
   Como diz o verso de uma tradicional canção gauchesca: "É o meu Rio Grande do Sul, céu, sol, sul, terra e cor/Onde tudo que se planta cresce e o que mais floresce é o amor!" Com certeza, aqui encontramos o calor humano!

Ana dos Santos

Concurso de Poemas Mário Quintana

Pétalas de dores
Eu já estou velha de mim
Buquê de flores
de espinhos e jasmim
Lágrimas de sangue
Viver é sofrer sem fim
Náusea Sartriana
Fernando
Pessoas
em mim.